4 minutos de leitura

Laser Co2 e estrias: são uma boa opção?

Publicado por

O laser de CO2 tem sido amplamente utilizado no tratamento de várias condições dermatológicas, incluindo as estrias. As estrias são cicatrizes que se formam na pele devido ao estiramento excessivo, como o crescimento rápido durante a puberdade, a gravidez, o ganho de peso ou o uso de medicamentos corticosteróides. Essas marcas indesejadas podem causar desconforto estético e afetar a autoestima das pessoas. Neste artigo, exploraremos a eficácia do laser de CO2 no tratamento de estrias, discutindo suas indicações, benefícios e possíveis considerações.

 

  • Como o laser de CO2 funciona no tratamento de estrias?


O laser de CO2 utiliza um feixe de luz altamente concentrado para remover camadas superficiais da pele e estimular a produção de colágeno, uma proteína essencial para a elasticidade e a firmeza da pele. Ao direcionar o laser nas áreas afetadas pelas estrias, é possível estimular a regeneração celular e promover uma melhora na textura e na aparência da pele.

  • Indicações e benefícios do laser de CO2 para estrias


O laser de CO2 é indicado para o tratamento de estrias vermelhas (estrias recentes) e estrias brancas (estrias antigas). Alguns dos principais benefícios do tratamento com laser de CO2 para estrias incluem:

 

  • Melhora na aparência das estrias: O laser de CO2 atua remodelando as fibras de colágeno na pele, suavizando a aparência das estrias e melhorando sua textura.
  • Estímulo da produção de colágeno: Ao penetrar nas camadas mais profundas da pele, o laser de CO2 estimula a produção de colágeno, promovendo uma maior elasticidade e firmeza na área tratada.
  • Resultados a longo prazo: O tratamento com laser de CO2 pode proporcionar resultados duradouros, uma vez que o estímulo à produção de colágeno continua mesmo após a conclusão do tratamento.
  • Procedimento seguro e minimamente invasivo: O tratamento com laser de CO2 é considerado seguro e minimamente invasivo quando realizado por um profissional treinado e experiente. É uma opção não cirúrgica para o tratamento de estrias.
  • Considerações importantes e possíveis riscos


É importante ter em mente que os resultados do tratamento com laser de CO2 podem variar de pessoa para pessoa. Algumas estrias podem responder melhor ao tratamento do que outras, dependendo de fatores como a profundidade e a idade das estrias, bem como a resposta individual do organismo ao estímulo do laser.

Além disso, é essencial seguir as recomendações do médico antes, durante e após o tratamento para otimizar os resultados e minimizar possíveis riscos. Algumas considerações importantes incluem:

 

  • Tempo de recuperação: O tratamento com laser de CO2 geralmente requer um período de recuperação, pois a pele tratada pode ficar avermelhada, inchada e descamar temporariamente. O médico fornecerá orientações específicas sobre cuidados pós-tratamento, como a aplicação de cremes hidratantes e o uso de protetor solar.
  • Necessidade de múltiplas sessões: O número de sessões necessárias pode variar de acordo com a gravidade das estrias e a resposta individual ao tratamento. Em geral, são recomendadas várias sessões para obter resultados satisfatórios.
  • Possíveis complicações: Embora sejam raras, complicações como hiperpigmentação (manchas escuras) ou hipopigmentação (manchas claras) podem ocorrer como resultado do tratamento com laser de CO2. É fundamental seguir as instruções do médico para minimizar esses riscos.

    É fundamental procurar um profissional médico qualificado e experiente em tratamentos a laser e estrias para obter os melhores resultados e minimizar os riscos. Durante a consulta inicial, o médico irá avaliar suas estrias, discutir suas expectativas e fornecer uma orientação personalizada sobre o tratamento mais adequado para você.
     

Em resumo, o laser de CO2 pode ser uma opção eficaz para melhorar a aparência das estrias, estimulando a produção de colágeno e promovendo uma melhora na textura e na aparência da pele. No entanto, é importante ter expectativas realistas e entender que os resultados podem variar de pessoa para pessoa. Consulte um médico especializado para obter uma avaliação adequada e um plano de tratamento personalizado para suas necessidades individuais.

 

 

Referências:


Alster TS, Tanzi EL, Lazarus M. The use of fractional laser photothermolysis for the treatment of atrophic scars. Dermatol Surg. 2007;33(3):295-299.


Kim HJ, Park JH, Lim SH, Park JK, Baek JH, Shin JU. Fractional photothermolysis for the treatment of striae distensae in Asian skin. Am J Clin Dermatol. 2008;9(1):33-37.


Ho SG, Chan HH. The Asian dermatologic patient: review of common pigmentary disorders and cutaneous diseases. Am J Clin Dermatol. 2009;10(3):153-168.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

15 + 18 =

Outras Publicações

Candidíase de repetição tem cura
Você sabia que a candidíase pode e deve ser tratada de uma forma global e que leva em consideração…
Check-up Metabólico: 3 razões para agendar já o seu
Cuidar da saúde entrou para a sua lista de resoluções de fim de ano, certo?. Então, é tempo de…
Bumbum da Yasmin Brunet: saiba como turbinar o seu
Os cuidados com o bumbum são uma boa pedida para quem desejar manter a autoestima e o corpo saudável….